Tenacidade

Se pretendes realizar algo meritório, que te promova interiormente, ao mesmo tempo auxiliando-te no crescimento social e humano, jamais esqueças da tenacidade com que deves lutar, a fim de que não abandones a tarefa a meio caminho.

Todo investimento de luz enfrenta a densidade da sombra e da ignorância em predomínio.

Anelando por um mundo melhore mais feliz, no qual o sofrimento bata em retirada e os valores ético-morais do Espírito predominem, serás surpreendido por empecilhos e desafios que te não podem atemorizar.

Iniciada a trajetória, a perseverança deve acompanhar os teus esforços, ensejando-te renovação de entusiasmo e alegria contínua, mesmo quando os céus se te apresentem plúmbeos em face das nuvens borrascosas.

É natural que assim ocorra, porquanto o inusual chama a atenção e experimenta reproche, especialmente quando em se tratando de realização enobrecedora.

O solo não trabalhado, quando em preparo para a sementeira, é sempre mais áspero do que aquele que foi arado.

O charco ao abandono, afim de ser transformado, necessita experimentar a agressão dos instrumentos que lhe revolvem a lama, que lhe abrem valas, ferindo-lhe com segurança o leito para que se processe a renovação e se transforme em seara rica de pão.

A sociedade contemporânea, vinculada aos interesses imediatistas, neles compraz-­se, desprezando novos contributos que exijam esforço para mudanças radicais, embora os resultados venham a ser benéficos. Acomodada nas conveniências hedonistas, cria barreiras para as alterações significativas.

O triunfo, em qualquer empreendimento, somente chega na etapa final após as renhidas batalhas.

Não se estando investido de tenacidade para levar adiante o ideal, mesmo que sofrendo, o desânimo cerceia o passo do empreendedor e ei-lo que tomba na desolação, na desistência.

Estabelecido o programa da atividade, cada impedimento deve ser examinado e contornado, procurando-se outras alternativas, caso não seja possível desenvolver o procedimento desenhado.

O que é fácil de ser executado, qualquer pessoa consegue fazer. Aquilo, porém, que se apresenta complexo e com características de impossibilidade, no entanto, exige indivíduo portador de qualidades mais valiosas, a fim de nunca abandonar o empreendimento.

Por essa razão, poucos são aqueles que se destacam nas áreas do bem e do dever retamente cumpridos, porque a grande maioria prefere o convencional, o habitual, o repetitivo, o vício, o amolentamento do caráter, o desvio espiritual…

Quando te disponhas a executar um labor que te eleve moral e espiritualmente, não te detenhas a examinar as impossibilidades atemorizantes, deixando—te ameaçar. Estuda—as, sim, com o objetivo saudável de encontrar os meios mediante os quais conseguirás ultrapassá­-las.

Quem se mantém irresoluto contemplando o pântano, empesteia-se com os miasmas que dele exalam.

Qualquer empreendimento exige abnegação, esforço e tenacidade.

O triunfo do conquistador sustenta—se na contumácia com que foi trabalhado.

Ninguém ascende às alturas sem o enfrentamento das baixadas mais sinuosas e traiçoeiras.

Do alto a visão é compensadora e abrangente, não se distinguindo os perigos nem as armadilhas da subida.

Assim também ocorre por ocasião das edificações morais e espirituais. Nos tentames iniciais tudo parece conspirar contra os resultados que se têm em mente.

Se o lutador não se encontra disposto a insistir, repetir, não ceder, o empreendimento deixa de ser realizado. Por isso o número daqueles que abandonam os propósitos superiores é muito grande.Mas nem por essa razão o progresso deixou de apresentar-se no mundo.

É natural, portanto, que se paguem os altos estipêndios emocionais para o desiderato do Bem.

A crítica mordaz dos céticos, a desconfiança dos pessimistas, a arrogância dos prepotentes, a falácia dos cínicos compõem a patética da negação e transformam-se em montanha de problemas tentando dificultar o avanço.

Não te preocupes com eles. Vence-­os, um a um, mantendo-te devotado, trabalhando sem cessar e demonstrando que a marcha longa se inicia no primeiro passo e continua na sucessão deles.

Estás destinado as cumeadas do progresso que te aguarda.

Enquanto não te resolveres por avançar, permanecerás detido nas curvas do caminho ou sombreado pelos receios injustificáveis.

Todo operário conduz mãos calosas, que são as condecorações dos trabalhos executados.

Assim também, os obreiros de Jesus, quando na execução dos compromissos a que se vinculam, apresentam os sinais do esforço, porém revelam-se muito felizes por haverem sido convidados para a Seara.

Não ficaram somente no deleite da invitação, mas avançaram na direção do campo, tomaram da charrua e puseram­-se a lavrar o solo, aguardando o momento da ensementação que lhes cumpre realizar.

Sentem-se escolhidos para o intransferível labor e empenham-se por produzi-lo com eficiência.

Pouco lhes importa se a estação é primaveril ou outonal, se a canícula é áspera ou o inverno rigoroso. É-lhes essencial agir e trabalhar com afinco, não perdendo a ocasião que se lhes apresenta para ser utilizada.

Jesus convidou-nos oportunamente: Vem hoje trabalhar na minha vinha.

Não estabeleceu condições nem determinou prioridades. Foi taxativo ao enunciar: Vem hoje.

Hoje, e não mais tarde, porque o veículo do tempo, na sua incessante movimentação, altera as condições e circunstâncias, priorizando aqueles que aceitaram o convite e passaram a agir.

Com tenacidade, portanto, prossegue no desempenho dos teus compromissos para com a Vida e não temas nunca.

Do Livro “Diretrizes para o Êxito”
Divaldo Franco
Joanna de Ângelis
     Espírito

Galeria | Esse post foi publicado em Artigos. Bookmark o link permanente.